Elegante sempre - Janaína Depiné

Etiqueta na adoção

Quando uma família adota uma criança há uma carga emocional muito grande. Além de toda a espera, ansiedade, afazeres típicos da preparação para a chegada de uma criança, há ainda o aspecto da abordagem que parentes e amigos precisarão adotar com os novos pais. Essa foi justamente a dúvida de uma leitora numa recente live no Instagram e hoje eu conto com uma ajuda especial para responder.

A advogada Beni Cassettari, de Sorocaba – SP, atua na área de família e já participou de processos de adoção e guarda de menores.

Ela explica que a forma de lidar com a criança depende da idade.

Quando o adotando é bebê

Na tenra idade o convívio tem início de forma mais pacificada. É de suma importância que essa criança já encontre seu cantinho todo preparado com amor e carinho, seja um berço no próprio quarto do casal adotante, no quarto que dividirá com seu irmãozinho ou um quarto somente para ele.

Quando a criança tem mais idade

À partir dos 02 anos, por exemplo, os adotantes devem se cercar de muitos afazeres! Uma criança precisa de muitas coisas e o mais certo é não levar nada consigo quando da saída da instituição de acolhimento.

Casal adotantes de “primeira viagem” precisam ter em mente que a criança vai precisar de roupa e calçados, produtos de higiene e brinquedos, alimentação apropriada, enxoval, sempre levando em consideração os gostos da criança.

Os dias que antecedem a vinda da criança resumem-se em preparativos, afazeres e compras. O essencial é um espaço reservado exclusivamente à criança, que se sentirá especial e  querida pelos adotantes.

“Uma dica que eu sempre passo para os meus clientes é que durante o período de adaptação, os pais adotantes tirem fotos dos preparativos do seu futuro quarto, da casa, dos membros da família, dos animais de estimação e mostrem à ela durante as visitas que tiver com ela na instituição acolhedora. Dessa forma, a criança vai se familiarizando com o novo lar, que existe um cantinho à sua espera, que terá pais novos que a adoram e uma família”, explica.

Apresentação à família e amigos

O processo de adoção leva alguns meses, pois além da burocracia, ainda tem o período de adaptação dos adotantes e do adotado. Aproveite esse tempo para comunicar à família e amigos que está no processo de adoção. “É muito importante que as pessoas próximas ao convívio dos adotantes estejam cientes dessa decisão, independente se aceitam ou não“, orienta Beni.

Quando a criança é bebê é preciso conter a curiosidade dos familiares e amigos e esperar alguns dias para adaptação da rotina. “Minha orientação é a preparação de um almoço ou chá de apresentação, assim, todos podem conhecer a criança sem atrapalhar a rotina“, diz a advogada.

Já no caso de crianças acima de dois anos, após a adaptação ao novo lar e rotina, um almoço e jantar de apresentação é bastante válido! “Esses momentos são ótimos para presentear a criança e palavras de carinho são sempre bem vindas!”, sugere.

Cuidados especiais

1)Outras crianças – Se há outras crianças na família, sejam futuros irmãos ou filhos de parentes e amigos, é importante orientá-los como tratar do assunto. Como são sinceras demais elas podem ferir sem ter a intenção. Conte com a supervisão de um adulto para evitar situações ruins.

2)Adoção tardia de adolescentes – Jovens que passaram por momentos terríveis quando ainda residiam com sua família biológica muitas vezes presenciaram adultos usando drogas, sofreram abusos físicos e psicológicos, além de trazerem consigo traumas. O  período de adaptação é muito importante e a apresentação à sua nova família poderá ser bálsamo para a alma dessa pessoa que tão cedo, já passou por momentos ruins. Nesse caso, o amor, diálogo e aproximação com todos os familiares e comunidade religiosa auxiliam muito! Conheço muitos casos felizes de adoções tardias”, ensina Beni Cassettari.

Falar ou não

É consenso entre os especialistas que a criança saiba que foi adotada. Quanto mais naturalidade houver, melhor será, pois aquele assunto não será um tabu, e sim uma parte de sua história.

Lembre-se: Adotar é um gesto de amor e que, por isso, deve ser muito bem pensado, para que a decisão seja positiva tanto para os pais quanto para a criança e valorizado por todas as pessoas que conviverão com a família.

Contato da advogada Beni Cassettari
Rua Marinha Antonia Damini, 144 Jardim Emília Sorocaba/SP
CEP 18031-180 – Fone: 15.32336988/15.997714236
www.cassettariconsultoria.jur.adv.br

Aguarde...

Cadastre-se

Fique por dentro das novidades do blog!