Elegante sempre - Janaína Depiné

7 lições de uma nova vida

Dizem que só se faz um ano uma vez na vida, mas eu estou aqui para provar o contrário. No dia 02 de janeiro completei um ano de vida. Sim, porque eu estive com um pezinho lá do outro lado, mas sobrevivi graças a bondade de Deus. E o que aprendi nesse meu primeiro ano de vida eu compartilho agora com você. 

Talvez você não saiba, mas no dia 02 de janeiro de 2017 eu sofri um grave acidente. Fui atropelada numa rodovia e tive traumatismo craniano, suspeita de lesão na cervical, fraturas, lesões e muito medo. A história toda eu já contei aqui. 

De lá para cá tenho vivido a experiência do recomeço. Se um bebê com um ano aprende a andar e a falar as primeiras palavras, no meu primeiro ano eu também precisei reaprender a caminhar e a escolher as primeiras palavras. Ah, mas eu aprendi tanto que decidi compartilhar para que você também possa aprender sem precisar passar pelo meu caminho.

1.Aprendi a andar pela vida

Além de precisar recuperar plenamente os movimentos do corpo eu tive que redescobrir a andar pela vida. Os passos agora são mais lentos. Não quero andar com tanta pressa, mas curtir o momento. Se eu já parava para ouvir alguém, agora não preciso mais nem falar. Sou só ouvidos. Também ando por aí mais atenta. Passei a ver tantos passarinhos, flor nova no jardim, admirar um cachorro brincando, reparo nas pessoas tristes e paro tudo para prestar atenção…Sabe aquelas imagens antigas de uma mulher contemplando uma paisagem? Hoje eu sou essa mulher.

2. Aprendi a perdoar

Não posso dizer que eu já não soubesse, mas agora eu faço questão. Eu desejo perdoar. Não quero ter dentro de mim nenhum tipo de rancor. Se você fez algo de ruim para mim, se alegre! Já te perdoei e você nem sabia, hein! Eu perdoei no mesmo dia o rapaz que provocou o meu acidente e, desde então, estou perdoando sem parar. É libertador!
Na outra mão, tenho buscado pedir perdão. Mesmo quando não fui protagonista do erro, mas ele respingou em mim, eu tento a reconciliação. É claro que nem todas as portas se abriram, mas as que consegui eu tenho mantido aberta com zelo e amor.

3. Aprendi não me aborrecer

Nunca fui de briga, verdade seja dita, mas como qualquer cidadã do planeta terra eu passo por cada perrengue! Mas eu escolhi evitá-los a qualquer preço.  Estou deixando os aborrecimentos de lado e tento buscar estar em paz com todos o tempo todo. É claro que isso significa engolir algumas ofensas aqui, outras grosserias acolá, mas está bem suave. Entendi que tenho alguém me defendendo e, não quero me gabar, meu Pai é bem protetor.

4. Aprendi a estar satisfeita

A gente sempre quer algo, não é mesmo? Mudar de rumo, de emprego, fazer uma viagem, emagrecer uns quilos, comprar umas blusinhas (rs)…Eu aprendi a estar satisfeita. Não que não queira viver novidades e alcançar o meu melhor, mas simplesmente se ficar assim está ótimo! Se melhorar, vai ser lindo! Se não mudar, está bom também. Estou feliz por ter saúde, filhos e esposo que me amam incondicionalmente e um grupo de pessoas que torcem por mim. Fiz e faço o que posso para estar bem. Até contei aqui sobre a minha recuperação da queda de cabelo severa que sofri pós-acidente. Porém, aprendi a estar satisfeita com minhas cicatrizes e minhas limitações. Para se ter uma ideia eu já mudei a senha do meu banco umas oito vezes em 12 meses. Resultado de uma memória enfraquecida após o estresse traumático, mas que virou piada em família e para mim também. Estou satisfeita como fiquei e sei que também estarei com as mudanças que ainda vou viver.

5. Aprendi a não fazer planos

Sabe a listinha do que eu eu vou fazer em 2018? A minha está bem curtinha: viver bem, com qualidade de vida, alimentando minha fé, agradando a Deus e a minha família. Simples assim. Não tem grandes ambições na minha lista. Aliás, não ambiciono nada ou talvez ambicione muito, pois quero exatamente o que o dinheiro não pode comprar: saúde, amor, fé e família. Mas não cobiçando as coisas desse mundo percebo que Deus tem me dado muito mais do que se eu quisesse. Acho que esse é o segredo.

6. Aprendi a confiar

Ah, muita coisa tem saído de um jeito diferente do previsto e eu aprendi a confiar. Mesmo que eu não esteja entendendo nada sei que Deus já está vendo lá no final. Sabe o dia de amanhã? Eu confio plenamente que Deus já preparou. E de fé em fé, estou vivendo um dia de cada vez. Absorvendo cada dia. Quando as coisas não foram boas num dia eu deito e durmo em paz, amanhã vai ser bem melhor.

7. Aprendi a amar

É evidente que eu já sabia amar, mas agora eu entendo totalmente o que é o amor mais profundo. O tal do amor ágape, aquele que Deus tem por nós. Sabe aquele tipo de amor que a pessoa faz um monte de coisa errada nessa vida e Deus ainda continua lá, com um sorriso no rosto e os braços abertos? Eu posso te assegurar que eu vi esse amor. Eu provei dele e eu fui transformada por ele. Eu me senti plenamente amada por meu Pai e agora eu sei amar de verdade. Afinal, quem foi tocada pelo próprio amor só pode amar!

E aprendendo tanto eu entendi que vai ser assim até o fim. Um tijolinho por vez, uma lição por dia e quando for a hora eu não verei mais em parte, pois verei face a face e então poderei dizer: “Entendi tudo! Obrigada, Jesus!

Aguarde...

Cadastre-se

Fique por dentro das novidades do blog!